há séculos em nossas vidas!

PEELING QUÍMICO

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon

Quem é que não deseja ter uma pele linda, jovem, uniforme, sem manchas? Com o tempo, nossa pele vai perdendo componentes e proteínas, tornando-a menos hidratada. Um dos procedimentos mais antigos é o peeling químico.

A palavra peeling, vem do inglês to peel, que significa 'descamar ou pelar'. Dependendo do agente químico usado no peeling, realmente a pele sofre esse processo de descamação, que pode ser superficial e discreto ou mais profundo e evidente. Vai depender muito da finalidade e o tipo de ácido usado.

São indicados para o rejuvenescimento da pele, proporcionando uniformidade, redução dos poros e redução de rugas finas. Pode ser feito na área facial ou corporal, sendo capaz de tratar manchas, cicatrizes e estrias.

O procedimento normalmente é rápido, mas deve ser feito com muita cautela, por um profissional devidamente habilitado e especializado, como biomédicos e médicos, pois somente eles são capazes de fazer uma anamnese cautelosa, sabendo qual o melhor protocolo e tipos de produtos que deverão ser usados. Além disso, para o peeling médio e profundo, é muito importante o preparo da pele 15 dias antes do início do tratamento, bem como, também, após o tratamento, evitando assim a sensibilização da pele, possíveis manchas, além de aumentar a permeabilidade e uniformidade. Esse preparo é feito com a orientação do profissional.

Para um bom resultado é extremamente importante, durante todo tratamento, o uso de protetor solar e produtos que podem ser prescritos pelo profissional. A exposição ao sol também deve ser evitada.

Os peelings podem ser classificados quanto ao grau de profundidade, podendo ser:

  • Muito Superficiais - remove apenas o extrato córneo, não havendo descamação.

  • Superficiais - promove uma esfoliação epidérmica, ocorrendo uma leve e fina descamação.

  • Médios - atinge a camada dérmica da pele, promovendo uma descamação moderada.

  • Profundos - atinge a camada dérmica reticular média, provoca uma descamação mais intensa.

Obviamente, quanto mais profundo, melhor o resultado, porém o desconforto é maior, os cuidados são mais rigorosos e o tempo de recuperação é maior. Por isso, ao indicar determinados peelings, o biomédico deve analisar o perfil psicológico do paciente e o tipo de atividade profissional.  A análise da profundidade do peeling é feita pelo biomédico, conforme a necessidade, objetivo, idade, fototipo, etc. 

O procedimento é tranquilo e seguro. As sessões podem ser feitas quinzenalmente ou mensalmente, dependendo do tipo de ácido. 

Para os peelings médios e profundos, é obrigatório obter termo de consentimento, registro fotográfico e ficha de anamnese.

As complicações existentes variam de acordo com o tipo de ácido e profundidade do peeling, podendo ser elas: hiperpigmentação pós-inflamatória (manchas escuras) ou hipopigmentação (manchas esbranquiçadas); infecções bacterianas, virais e fúngicas; cicatrizes; reação alérgica; eritema (vermelhidão).

As complicações são raras e podem ser evitadas com uma boa anamnese, cautela na execução do procedimento e preparo da pele antes e depois.

Os peelings são contraindicados para grávidas, lactantes, herpes ou infecções ativas, alergia aos componentes do peeling e também é contraindicado para pacientes com expectativas irrealistas.

Antes

Depois

Antes

Depois

Antes

Depois

Para mais informações sobre o procedimento, entre em contato conosco e agende sua consulta gratuitamente.